segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Entrevista - Lurdez da Luz


Depois de comandar um dos microfones do Mamelo Sound System e participar de projetos como o 3naMassa, Lurdez da Luz se reinventa com o seu trabalho solo, e com toda sua simpatia nos concedeu essa valiosa entrevista falando dos seus projetos, influencias e outras coisitas mais.

M.G-Como está sendo a aceitação da entrada feminina no Rap nacional?

L.L-Eu ainda acho que num tem tantas mulheres ativas como mc e dj quanto deveria. E eu mesmo, já estou fazendo esse tipo de som faz uns 10 anos, e agora tá rolando um momento bom mas não só para as mulheres mas pro todo, pro rap nacional em geral, sempre tem esses estopins no movimentos, épocas que rola uma aceitação maior, que tem nomes de destaque de dentro do rap em vários outros meios, mas dessas vez, acho que de 2008 pra cá, parece que esse "boom" está ficando mais sólido, num tá parecendo só uma fase boa, e sim a vertente desse tipo de musica se firmando no cenário da musica Brasileira.

M.G-Quais as suas influencias musicais?

L.L-As mais diversas. Eu quando tinha uns 14, 15 anos gostava muito de punk rock, hardcore, bandas ligadas ao rock, dai comecei indo em shows de outros tipos de musica e em sebos, dai comecei a escutar só black music em geral( reggae, rap, soul, funk), e também minha cabeça começou a se abrir pra musica brasileira quando escutei as paradas dos anos 70, toda a tropicália, Jorge Ben e Tim Maia, dai
comecei a conhecer mais dos discos que eram mais obscuros dessa galera e de outros musicos brasileiros... E com 19 anos depois de muito ouvir rap cada vez mais naquela época, resolvi começar a escrever.

M.G-Fale um pouco da produção desse seu trabalho solo.

L.L-Foi bem espontâneo, comecei a escrever sem ser pra um disco, só por que vinham as idéias, dai quando tinha algumas musicas meio prontas pensei que era hora de começar a escolher os beats pensar num enredo, e dai vi que o que tinham em comum nos sons era o tema: relacionamento afetivo. Resolvi que os outros sons iam ser assim também, pro disco ter uma unidade. Dai um amigo de longa data que tem um estúdio o Daniel (DvBz) foi convocado a produzir o disco e chamou o Marcelo Cabral que é musico, principalmente contra baixista pra produzir com ele e eu fui escolhendo beats com os caras que fazem rap em samplers pra eles retrabalharem no estúdio.
Gostei muito do resultado.

M.G-Como estão os projetos com o Mamelo Sound System?

L.L-No momento ta cada um fazendo seus trabalhos, eu to trampando esse disco e o Rodrigo tá com outros projetos como o Zulumbi, tocando com o M.Takara as vezes, o PG tem o Elo da Corrente e o M.Stereo tá sempre envolvido seja produzindo seja rimando em vários projetos também.

M.G-Depois de mostrar toda sua versatilidade no grupo 3 na massa, você foi convidada para mais algum trabalho paralelo?

L.L-Ta rolando muito, alias Gravei e fiz shows com o Maquinado do Lucio maia, gravei e toquei com o Kiko Dinucci no disco e nos shows do "Na boca dos outros", ultimo disco de composições dele que vários outros interpretam. Estou produzindo uns sons com a Massarock e cantamos junto em diferentes esquemas em salvador com o Dubstereo, aqui em SP só em riddim com o dj Magrão, me apresentei aqui com a Catarina de Jah e recentemente com a Iara Rennó, o Improvisado Trio que são músicos de Jazz que trabalham com o Cabral que produziu o meu disco e se apresenta comigo ao vivo também me chamaram pra uma noite lá que eles fazem na casa das caldeiras. Eu to achando tudo isso muito bom, crescendo musicalmente na raça mesmo.

Confiram o trabalho solo de Lurdez da Luz:
http://www.myspace.com/lurdezdaluz


MR.Groove

Nenhum comentário:

Postar um comentário